Discurso da natureza.

Discurso da natureza.

 

Quem originou! Afirmo, não pergunto.

Meu intuito é ser o que não é são,

Não podem, não devem, não permitem,

São não como eram,

Os que eram continuam a ser.

Eu não sou,

Não continuo,

Permito-me.

Desde antes que defino como agora,

Desde memória que defino nuvem,

Estado de estar disperso da liberdade.

Digo de traz que trago a bagagem,

Por saber de seu peso,

Nada peso,

Por ser leve não denso, destino,

Vago e não direciono,

Do lado que divisa os que se enfileiram fico,

Ficado por que origino.

Género: