Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Amor indigesto

Dava-me cabo da voz,
Se eu te dissesse palavras lindas?
Quantas não foram ouvidas
Muito antes de nós...
 
Dava-me cabo do pensamento,
Se tentasse explorar
Memórias de ti?
Afinal, quantas vezes
Fingi que não te vi
Só para não ter de pensar?
 
Dava cabo de mim
Correr no teu sentido
E dar cabo de ti,
Com todo o meu corrido,
Ânsia ardente que reclama
De onde já não há corpo.
 
Somente a chama.
 
E se o corpo se foi
Muito antes de o ser,
E se o beijo, que dói,
Eu o vejo morrer,
 
Talvez o coração deva cessar,
Este inquietante processo
De insistir em ter-te aceso,
Num dar cabo de mim
Para não dar cabo de ti...
 
Num fragmento coeso...
É o amor indigesto!
Género: 

Comentários

Poesia muito legal. Profunda e sincera.