Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer participar nas nossas Antologias? Clique aqui.

DUETO - Madalena Cordeiro/João Murty "ENCONTRO LUZ"

DUETO: Madalena Cordeiro/João Murty

ENCONTRO LUZ

Porque em teus olhos encontro luz para meu caminho
Meu coração não se sente sozinho!
Em teus olhos vejo o outro lado da vida
Do outro lado da vida não há despedida
Você meu amor minha vida……
A dor de uma paixão sofrida, a cicatriz de uma ferida
Mas um grande amor nesta vida…
Vale a pena; não é esperança perdida!

Madalena Cordeiro
________________ //_____________________

Lembranças tuas, no meu espirito submerso,
asas de luz, nos pensamentos se estendem
e ao pouco sol, dos olhos teus, voa meu verso,
como trinares de rouxinóis, que ascendem.

Palavras, redopiam numa estranha dança
imunes ao tempo, esvoaçam na emoção
querer mitigado, pedaço de esperança

Em meus olhos, vês o outro lado da vida
alma e corpo a cicatriz de uma ferida
como estilhaço poético da aurora
alucinação intemporal, emergida
na ampulheta volátil de momento,
escondida nos recantos do tempo...
Paixão de outrora, fogo do destino tortuoso
estranho desejo, indelével que se desfigura
suave caricia, volúpia de um beijo amoroso,
removo destroços, para entregar minha ternura,
a palavra de amor esvaiu-se na pureza perdida,
destino hipócrita, alojado na minha desventura,
oscila, por trair-se na esperança volvida.

Palavras renascidas na luz, emergem gritantes
Na bruma do passado, ressoa um eco de esperança
Mas o sonho naufragou e nada será como de antes!

A Lua chama-me, evoca o teu chamamento
a recordação do beijo, é meu prêmio e meu castigo
arde-me o sangue, assalta-me o pensamento
a esperança não morre, quiçá, um dia esteja contigo.

João Murty

Género: 

Comentários

Sempre suave a tua chegada e sempre desejada.

É um prazer repartir com a Nereide, as pequenas coisas que vou plasmando neste site.

Bem-hajas, minha amiga.

Um beijinho,

João Murty 

É de balançar coração! Que lindo; que emoção!

Vamos que vamos!

Bijinho e muito carinho!

Você já está na minha história! Tens participação na minha vitória!

Abraços!

Olha a lua? Isso é coisa minha e sua!

António Cardoso's picture

Está sem dúvida alguma um excelente e belo poema! Muitos Parabéns!

Não deve haver melhor na escrita que a possibilidade de partilharmos ou confrontarmos as nossas palavras com as palavras de alguém que tanto nos importa. A poesia deve ser por isso, a meu ver, uma comunicação paralela…mesmo quando as palavras não se ouvem, mesmo quando não chegam aos ouvidos de quem queríamos e nunca surtem resposta. Palavras de sentimentos que não podemos nem queremos manter cá dentro.
 

A boa poesia é sempre escrita e traçada a dois e sobre dois, mesmo quando apenas um escreve.

Concordo com a tua visão.

Parafraseando parte do  poema de Florbela "e dize-lo cantando a toda a gente"

Um abraço,

João Murty

António Cardoso's picture

A poesia é mesmo isso,

Para mim, a poesia, é uma partilha de algo que temos cá dentro e que quermos partilhar com muita e "toda a gente". É grande demais para se encerrar apenas em nós mesmos.

Um abraço,

António Cardoso

"É grande demais para se encerrar em nós mesmos"

Obrigada à todos!

Muito grande este sentimento, de partilharmos belos momentos.

A poesia é sem dúvida, uma maneira especial de compartilhar sentimento.

Não pode e deve encerrar em nós mesmos...

Abraços!