Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer participar nas nossas Antologias? Clique aqui.

DUETO: Nereide - João Murty "ESPERANÇA"

ESPERANÇA

Esperança!
Uma palavra
Um nome
habita meu Ser.
Transita ou adormece.
Estanca!

Na vida há que se ter.
Nesta vida descabida,
um momento de festança
Meus olhos ao reter
a figura da criança.

Seguir o caminho do instinto
servindo como alimento.
sigo sempre faminto.
Mas o dia haverá
sendo até labirinto,
com alegrias e sofrimento,
pelo caminho que me seduz,
encontrarei um raio de luz.

Esperança!
Uma palavra
Um nome.

Nereide
_______________________//___________________________

Quando se espera por alguém que mora
dentro de nós, no coração e no pensamento,
um minuto que passa é uma hora.
Desfilam-se imagens dos tempos de bonança
emoções que se escondem no sentimento
o filme passa, mas dentro de nós mora a esperança

Uma luz num intervalo longo, mas a espera continua,
como um fantasma, que se refugia nos olhos risonhos
de uma criança extasiada nos seus fulgores.
Silenciosa, sem horas, ofuscando a verdade nua
seduzida por um raio de luz que persegue nos sonhos.
Mas a espera é quimera, é o fel das nossas dores.
Corvos negros agoirentos de outra imagem tão crua.

Vai-se o tempo, mas a esperança não murcha, ela não cansa,
é mais um interlúdio, também como ela, não sucumbe a crença.
Vai-se a lua, põe-se o sol, vão-se sonhos nas asas da descrença,
uma palavra, um nome e os sonhos voltam nas asas da esperança.

João Murty

Género: 

Comentários

É assim que estão indo meus sonhos, nas asas das descrenças...

Queria voltar a ser criança, de novo ter inocência! 

Muito lindo o dueto parabéns!

Obrigado por ter gostado.

Grande parte dos seres humanos, se pudessem parar  tempo, fariam no periodo de criança/adloscencia. Eu também o faria!

Um beijinho

João Murty