Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Estações da Vida

Nada aquece como o sol da paixão,

Nada ilumina como o brilho do amor.

Mas tudo se apaga com o cair do primeiro nevão,

E já nem o gelo alivia tanta dor.

 

O vento leva as nossas palavras,

Leva as folhas da nossa história, caídas pelo chão.

A chuva nasce das nossas mágoas,

Mas nada cria a não ser desilusão.

 

Tudo começa numa Primavera ou num Verão,

Adoece no Outono e já morreu no Inverno.

Cada fase desta vida é como uma estação,

Não se chega ao Paraíso sem passar pelo Inferno.
 

(03/07/2014 - 22:45)

Género: 

Comentários

Poema  que bebe na fonte do passado onde jorra o sentimento e se ergue decantado no eruditsmo do presente. 

João Murty

 

António Cardoso's picture

Muito obrigado, amigo João Murty.

Abraço.

Verdadeiro, lindo, triste, mas pode se usar  até nas Escolas  para aulas... Nossas estações pela vida... 

Parabéns!

Beijos!

António Cardoso's picture

Muito obrigado, Madalena. A vida do Homem está refeletida na Natureza, ou então é a Natureza que está relefetida no Homem.

Um abraço.