Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer participar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Homem Do Meio

Eu sei que sou o alvo para muitas pessoas

Aprendi a perdoar quem nao gosta de mim

Sei que ele está em cima de ti

Sinto que tudo está a desaprecer

Bloqueias como fosses criança

Nunca aprendes-te na vida o que é esperança

Mais um dia e mais uma noite em guerra

continuas nesses teus caminhos desfavorecidos

Gostava de dizer que estou em casa mas sinto-me na rua

TEm muitas maneiras de te encontrar cega

Os milagres é que te fazem esperar pela vida

O fim está proximo se estiver sempre estarei sempre no medo

Existem muitas coisas depois de abrir a porta

É sempre um bom sinal quando oiço dizer que estás  a sangrar

Nao consigo fugir desta tragedia que me poem sempre em baixo

Gostava de poder eliminar as coisas que me fazer ser achado

Gostava que tudo fosse queimado

 

Género: