Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

O Pato que queria ser um alecrim

 
 
 
 
Ouvia quando falavam entre as quinas das paredes
Compreendiam o que achavam que nela não havia
o entendimento.
Invisível dentro da indiferença,mascarada de obsessivos
cuidados
Dormindo solidão assombrada,em meio ao toque da
violência que nunca soube que aqueles olhos tão puros
Apenas pediam um pouco de amor e proteção.
 
Cresceu...
 
Morreu da imaginação o amigo secreto
Permaneceu dentro de si uma calada saudade
enterrada na mais dura das expressões.
Os lábios afirmavam o que por dentro chorava e negava
o coração.
 
 
 
O mundo advoga e alardeia vaidades tão fúteis quanto
o sorriso de um pato que sonha ser um alecrim.
 
 
 
 
 
$am
 
 
 
 
 
imagem

Bryce Cameron Liston

 

 

Género: 

Comentários

Belo poema, meus parabens

Abraço

FC

Agradeço seu comentario, bom dia