Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Reflexão

Vou existindo em todas estas noites, todas tão iguais.
Todas tão merdosas. Enfim, queixo-me de dores que todos sentem.
Acredito que as sintam de maneira diferente.
Que não lhes doa tanto quanto a mim.
Mas neste pequeno espaço onde tudo me dói  intensamente a minha confusão é grande.
Dói me não sei o quê em dias tão tristes como a tristeza de saber quem me magoou.
Fodasse eu devo estar amaldiçoado. Vão existindo bruxas sem eu de facto acreditar nelas.
Toda a minha a vida fui de palavras, e, neste momento sinto-me cansado de as usar.
Sinto-me cansado, e ainda sou tão jovem. 
Exausto de tentar compreender tudo o que envolve este círculo de rotações eternas.
Estou farto de sorrir quando quero chorar, mas mais ainda de chorar quando quero sorrir.
 
Género: