Canção

Dispêndio factual.

Quando uma pedra ordinária foi privada de sua vontade de viver,

Exigiu às frestas e trincas que se lhes agudas agudassem,

Provendo assim seu arbítrio de ser... Em toque.

Drenando aos que lhe cobrem os desejos, ferramenta.

De sangrarem por vitimas ou vitimando,

Semelhantes por semelhantes, carcereiros esquecidos que consomem vida,

E morrem.

Bolina

Bolina

 

 

 

Nas límpidas águas do mundo profundo,

Viagem que a imaginação provocou,

Em sonho bravio, esperançoso, iracundo

Que o poderoso tempo levantou

 

Heróis que sobrevivem ao vento,

Em agitação fremente e lutadora,

Da liberdade soprada do momento,

Vida inconstante, poética, sonhadora

 

E mesmo que a maré os atinja,

Contrária, na paisagem assoladora,

Saberão livrar-se do que os precinja

 

E mesmo que a sorte lhes surja adversa,

Musical

A música é o meu melhor abrigo e nesse abrigo eu podia viver.
Num ambiente alucinante, com motivação e força.
Não o abandonaria, aliás, convidava sombras de felicidade para se juntarem à festa.

Pages