Canção

Balada das Palavras Doces

A letra desta balada é dedicada á Madalena a poetisa das palavras doces.

BALADA DAS PALAVRAS DOCES

Em cada linha que te escrevo em cada verso
Faz-me sentir mais só nesta noite tão longa e fria
Perdido nas doces palavras do teu universo
Deslumbro o toque do teu olhar no anoitecer
Minha boca seca morde o beijo que tanto queria

Quem precisa de poesia?

Quem precisa de poesia?

Quando já há fábricas

Quando há máquinas

Tão, tão, rápidas

Quem precisa de poesia?

No asfalto e alcatrão

No cimento e betão

No carro e no camião

Quem precisa? Quem?

Tendo já as cidades

Aromas que sabem tão bem

Quem precisa de poesia?

Quando se tem a guerra

Coração Louco

Sonhos de verão misturados com as folhas de Outono
Somos nós em estações que encostam um no outro
Não serei a tua prisão, amor não é amarra
O teu uma canção , que ouvi duma guitarra
Quando tiveres em baixo, não te deixo ficar assim
Olha para o céu estrelado que brilha só para ti
Pinta as tuas dores nessa tua linda tela
Digo ao mundo o que tens de complexa tens de bela
Num segundo sinto que todo o sofrimento valeu a pena

Deixa-me só voltar para casa

Voltar a casa, deixa me voltar a casa.

Deixa me voltar ao meu lar onde toda a luz é luar, deixa me só voltar a casa.

Deixa me só ganhar a taça, deixa-me voltar ao abraço daqueles que não bazam.

Diz-me, deixa me só voltar a casa, onde ela espera que eu volte enquanto reza.

E pede a Deus, deixa-o voltar pra casa, onde eu te espero e peço com pressa.

Deixa-me só voltar para casa,  eu berro, impero e grito no meio da praça.

Deixa-me só voltar para casa.

 

 

Pages