Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Entrevista do mês de Abril de 2015: Joel Nachio

Quem é o Joel Nachio?

O Joel Nachio é uma série de diversas facetas que vão da poesia à música passando pela informática (sim informática) a maluquinho a correr nu a arder (cuidado com a benzina!). São elas aparentemente dispares e é essa mesma diferença que contribui para o eu individual. Portanto, cliché aparte, diria que é através da soma de todos os meus eus que sou quem sou e que a mais pequena diferença num deles já me daria como impossível.
No fim do dia gostaria de pensar em mim como alguém simples que gosta de aproveitar as coisas simples, pois a meu ver são as coisas simples que conferem brilho e beleza à passagem do tempo e ao espaço trilhado na vida em si. Falo das coisas realmente bonitas da Vida. Deixar o mundo de fora do lado de fora onde ele pertence e sentir a beleza daquelas coisas puras e (que deveriam ser sempre) simples. Se pudesse escolher de todas as características e traços esse seria sem qualquer sombra de dúvida a minha escolha.

O que é para si a Poesia e qual a importância que a mesma tem na sua vida?

A poesia tem um grande relevo e importância na minha vida. Recordo os meus primeiros pequenos poemas como rapazito de dez anos e de os enviar à menina de quem gostava na altura até, já em plena adolescência, traduzir textos poéticos e, eventualmente, a escrever os meus próprios com um pouco mais de seriedade e pontualidade. Desde muito cedo provou ter o seu quê de templo para a mente e santuário para alma, desde muito cedo mostrou ser asa para escapar e/ou libertar do mais mundano. Atrevo-me até a dizer que sem poesia, por muito mais óbvio que pareça, não haveria eu...

O que sentiu ao ver as suas obras publicadas?

Descrença… ☺ Só acreditei quando tive o livro na mão… Na verdade ainda me acontece, é uma honra e prazer tal ter a publicação de uma obra que, apesar de já ter algumas, ainda me custa a crer que tenham acreditado no meu trabalho o suficiente e que tal tenha dado azo a uma publicação.
Portanto é uma alegria imensa e satisfação pessoal de objectivo alcançado e que há que se resumir caminho em frente.

Que outras formas de arte o atraem?

Sou músico portanto isso explica-se por si próprio e adoro cinema.

Deixe uma sugestão para o Poesia fã clube...
Continuar a arrepiar caminho! Não desistir, continuar em frente com força e persistir quando a dúvida ou o menos positivo sucede. Na verdade esta é a sugestão que dou a todos (a mim inclusive ☺ ).

OBRAS MARCANTES:
“O Fosso da Mentira” de Hélio Costa Ferreira, “Um Homem Parado no Inverno” de Baptista-Bastos, “Tao Te King - O Livro da Vida e Da Virtude” de Lao Tse, “Sonetos Amorosos” de Luís de Camões, “Sonetos” de Bocage, “Siddhartha” de Hermann Hesse, “Manfredo” e “Poesia” de Lord Byron, “Os Poemas da Minha Vida” de António Lobo Xavier, “Poesia” de Fernando Pessoa e Alberto Caeiro sendo o meu favorito “O Principezinho” de Antoine de Saint-Exupery por resumir em termos simples e de forma abreviada e clara o que penso ser importante.

FONTE DE INSPIRAÇÃO:
A minha Mãe, a minha Avó e Família, amigos e todos os meus amores.

FILME PREFERIDO:
Demasiados, vou tentar resumir: Groundhog Day, In Brugges, Waking Life, Wuthering Heights, The Princess Bride, American Beauty, Eternal Sunshine of the Spotless Mind, The Fall, Okuribito, etc…

CANÇÃO PREFERIDA:
Sou músico, esta pergunta é ainda mais assustadora que a anterior… Não consigo responder mas sou adepto fervoroso de tudo o que me soar bem.

JANTAR PERFEITO:
Qualquer um, desde que não seja peixe, com a pessoa de quem gosto. ☺

Comentários

Viver é a arte!! :)