Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Às vezes no silêncio da noite...

A madrugada corre lá fora,

E eu só penso nela...

O mundo corre atrás de uma bola,

A bola rola pelo mundo afora,

O mundo afora é mais sensato que eu, 

E eu só penso nela...

 

As questões de vida e morte não são tão distantes,

São tangentes,

Latentes.

Latente como o meu pensamento,

Que só pensa nela...

E a madrugada, a minha amada e o silêncio,

Se misturam, Se agrupam, Se confundem

E, a única coisa que faço é pensar nela...

 

Pensar... Ser racional... Ser... Pensar nela...

 

Género: 

Comentários

Muito bonito seu poema Clerton Eduardo...

Tem linhas bastante expressivas cheias de sentimento,

E doçura nas palavras.

Parabéns.

 

Ster Milany