Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

ABISMOS

Abismos

Somos um abismo que se toca nas profundezas.

Tricotamos nas malhas da escuridão,

Rasgamos beijos sem pontes, e no infinito tocamos cítara.

Fomos tão perfeitos que nos não viam,

Fomos tão bons que negaram a nossa existência.

Foi o que fomos…

A escada do firmamento rasga em lâminas

E nós com o calcanhar gretado,

Saltamos para o colo um do outro.

E perdemo-nos, porque isso foi o que fomos…

Pró abismo meu amor, pró abismo,

Porque o que fomos é tudo o que quero ser.

Nem que as garras já não nos tolerem,

Nem que a morte se reflicta no nosso olhar…

 
Género: