Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

ACREDITO NO QUE ACREDITAS

Acredito no que acreditas
 
Ainda que eu saiba que foi você quem errou
Ainda que eu saiba que és o pão que o diabo amassou
Ainda eu que ande sem saber para aonde vou
 
Não deixarei de acreditar no que acreditas
 
Ainda que tentem mudar a minha forma de pensar por ti
Ainda que incutam palavras na minha boca, p'ra falar mal de ti
Ainda que as pessoas tentem manchar o teu nome em mi
 
Não deixarei de acreditar no que acreditas
 
Ainda que o sol deixar de brilhar
Ainda que a lua peça para estrela a beijar
Ainda que eu duvide dos teus actos 
Sentado dentro do meu quarto
 
Não deixarei de acreditar no que acreditas
 
Ainda que eu pense no que as pessoas falam de ti
Ainda que eu dê a minha vida por ti
Ainda que as estrelas deixem de beijar a lua
Ainda que eu saiba que a tua vida não é tua
 
Não deixarei de acreditar no que acreditas
 
Em ti me reflito 
és o espelho que reflete a imagem do meu retrato
És o meu motivo que me motiva
a mulher que me cativa
O sorriso que me faz sorrir
E a strela que me faz brilhar
 
Por isso, acredito no que acreditas
 
Acreditar no que no que acreditas
É aceitar a minha existência
É abraçar o teu corpo com os meus braços 
É me erguer de tenta jovialidade
Porque a minha mocidade
Está cheia de vaidade
Por seres a minha cara metade
 
Por isso, acredito no que acreditas
 
diante da  tua presença me fortaleço
sentado no teu colo me completo
 
Por isso, acredito no que acreditas
 
Valdemar Marcelo
"O poeta das Neves"

"O poeta das Neves"

Género: