Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

[Amor orgânico]

Tendões se expandem.

Te deixo o controle acima da cervical
Me vejo em sua midríase.
Olhar dissimulado o meu, ou será o seu?
Não foi do pó que viemos, e sim do líquido.
No labirinto dos seus cabelos, meu dedos se perdem, se acham a saída não são felizes.
Tudo é trovão e bonança.
Quantas camadas precisamos atravessar pra extrairmos o amor puro? [ectoplasma, plasma, citoplasma - vamos quebrar um átomo]
Nós somos o centro do universo e o Big Bang é anacrônico.
Que o amor não seja apenas marionete de neurotransmissores que o seja também da matéria do infinito!
Género: