Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer participar nas nossas Antologias? Clique aqui.

As cinzas que te ferem

Volto das cinzas regentes,
As estelares poeiras torrentes
Verão meu resplendor belo.
Pois, tantas vezes ao inferno,
Cansa até o anjo mais leal.
Minha sujeira incomodará
Seu cômodo, encardirá
O pesado sono.
Não haverá verniz na madeira,
Serei seu capim na maqueira,
E minhas mãos chamarão
Nas ardentes chamas,
O seu pesadelo mais comum.

Género: