Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Continuamos em casa

Começamos a ficar saturados

Com a história do confinamento,

Mas será que é este o momento

De espairecer para todos os lados?

Cientistas, matemáticos e opinadores

Trazem certezas e lançam rumores!

Vamos pensar em deixar a casa,

Mas não sair para bater asa!

 

Baixa o número de infetados

O R vai para setenta por cento

Mas será que é o momento

Para deixar de ter cuidados?

Olha que os cuidados intensivos

Ainda tem números agressivos!

Vamos pensar em deixar a casa,

Mas não sair para bater asa!

 

Baixa o número de internados

Mas aumentam as inferências.

Estirpes novas são tendências

Que nos deixam preocupados!

Na saúde, profissionais exaustos

Lutam contra os erros dos incautos!

Vamos pensar em deixar a casa,

Mas não sair para bater asa!

 

Vamos desconfinar espaçados,

Porque óbitos baixos são desígnio.

Mas qualquer número é maligno

Por estes tempos de vários estados!

Olha que toda a nossa vida

Pode vir a ser comprometida!

Vamos pensar em deixar a casa,

Mas não sair para bater asa!

 

22FEV2021

JAMOR

Género: