Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

De nada vale sonhar.

Espero nunca mais beber da saudade
Não depositar horas em cima do balcão
Não desperdiçar horas deitado no chão
Voltar a sonhar, despido de sagacidade

Que a saudade não volte mais
Que fique apenas a vontade
Que fique apenas a verdade
Que seja verdadeiro quando dizes que não vais mais
Verdade que ficas.
Que ficas.
Que ficarás…

Sonhar é bom mas mata-nos devagar…
Quando percebemos como tudo é na realidade
Quando percebemos que bebemos da saudade
Quando percebemos que todo o amor acaba em maldade
É quando percebemos que de nada vale sonhar.

Género: 

Comentários

os sonhos nascem,

florescem

e reformulam-se.

 

votos de *Festas Felizes*

 

_Abílio;