Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Destilado...1

Por destino embriagado

Entornei-me pela vida

E quando dela for despejado

Dêem-me um copo à saída.

 

Ébrio demente

Esquecido das gentes

Deambulei vida fora…

Vagueando por bares

Sem rumo nos olhares

De onde caí borda fora.

 

Marinhei em balcões

E voei em balões

De álcool inflados…

Por sopros de pinga

Na noite que finda

Entre copos entornados.

 

Penallty’s bebi

Traçados pedi…

E encontrei-me no chão…

Por qual dilúvio bíblico,

De álcool etílico

Onde afoguei a solidão.

 

Mas também me afundei no tinto,

E nadei em absinto,

Rios…que naveguei.

E rumando na corrente

Dei com um mar de aguardente

Dos copos que entornei.

 

Nadei em gotas de chuva,

E surfei à chuva

Entre pingas de mescall…

Fiz rapel entre prateleiras

P’ra onde me atiravam as bebedeiras

…tudo desporto radical.

 

Mas foi enfrentando borrascas

De wiskey em garrafas

Que consumi por inteiro…

Que despejando-me de mim

Encontrei-me por fim

Com o meu Eu verdadeiro

Género: