Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer participar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Dia de Santo

Dia de todas Maria

Era um dia de todos os santos, dizia o calendário.
Divaga Maria então.
Que santos são estes?
Quantos teriam no céu neste dia?
Será, que entre eles sua alma estaria?
E como Maria das dores, por lá entraria!
Cansada de tantas labutas, das lutas dos dias.
Da fome, do frio das perebas que tinha
Que santos são estes?
Pensava Maria.
Que não matam sua fome.
Não matam sua sede, nem curam
as feridas abertas.
Seus olhos famintos não vêem a luz que da luz irradia.
Era um dia de todos os santos.
Os seus filhos santos, há muito se foram.
Tombados estão neste chão.
Ainda os vê entre suas mãos,
Pequenas e negras as mãos Indo embora.
Parece que acenam um triste adeus.
Que santos são estes?
Sente que de ama-la alguém se esqueceu.
Que santos são estes meu Deus?
Que santos são estes!
Maria gemeu!

Arlete Klens

Género: