Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Do Vagabundo...

Quando por fim a Lua acorda

E se espreguiça pelas ruas…

Vagueando te encontra

Nessa noite em que perduras.

 

Pobre Vagabundo

Que tens no tecto do mundo

O tecto do teu Lar…

Que te acolhe a alma,

Perdida,

E por escola te dá a Vida,

Por onde andas a vaguear.

Aprendeste-lhe a dor,

E o sofrimento,

Conheceste-lhe o desalento

E foste ainda mais além…

Cursando letras de amargura

Leste nas linhas da ternura

Que o Amor não é…

De Ninguém.

 

Tiveste por mestre o Vento

E por grão-mestre o Tempo

Dos muitos dias, vividos…

Aprendendo com o Sol a rir

E com a Lua a sentir

Sentimentos desconhecidos.

 

Em muitas aulas de…

Paciência,

Aprendeste que o Amor,

Não é ciência

Com fórmula escrita…

A preceito.

Como os sentimentos,

Nos ensinam,

São apenas elementos,

Que combinam,

Em cada um…

Do seu jeito.

 

Aprendeste no murmúrio das ondas,

Histórias que hoje contas,

A uma criança…

Com carinho.

Não és velho,

Envelheceste!...

Com o muito que aprendeste

No palmilhar de tanto caminho.

Por fim...

Falas com o coração,

Rimando sentimento com emoção…

Não dás a Vida por perdida.

Pois na morte, tens a certeza,

Não haver na Natureza

Coisa mais certa…

Desta Vida.

Género: 
Você votou 'Não gosto'.