Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer participar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Dor SOS

Agora posso ver a tua dor,

Adeus, estavamos tao perto,

Eu acho que vou desistir, deus te ajude

Eles dizem mentiras, como fossem verdades,

E eles suspeitam que és tu,

Eu vou partir, eu sinto,

Eu estou nu, estou de joelhos,

Eu estou a tremer eu estou a bobinar

Meu deus eu continuo a sangrar,

Eu vejo o mundo a morrer através dos meus olhos vermelhos,

Eu choro e vira noite,

Eu morro e vira dia,

Agora o que resta é dizer adeus,

Os que dizem isso é quem te ama,

Ve o que o mundo se tornou,

Agora está na hora de eu dizer "vai-te foder",

E se tu te importas, entao eles que te droguem,

Nao á ninguem ai quando ficas paralisada,

Sinto o teu terror e esmaga-te

Eles fingem que se preocupam enquanto te empurram,

Entao olhas para mim para encontrares a verdade,

E o que eu digo é o que tu fazes,

Gostas de olhar para eles de cima,

E é realmente tao fodido como tu,

O tempo está a morrer,

Com estas desordens forçadas,

Eu sou o culpado, e sou empurrado,

Quem é a porra do vilao agora?

Vejo a tua dor, desculpa

Eu choro dificilmente,

Porque estes tempos estao quase acabados.

Género: