Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Doridas Gargalhadas

Cai a noite e eu aqui, no meio do nada Quero sentir a plenitude de quem tem tudo inconsciente da distância dos pólos Perdida em mil perguntas sem resposta na minha pequenez de longas horas.........dias .....anos......a sós na imensa vastidão do meu mundo restrito..... de sonhos adiados Mil sois nasceram... Mil luas e marés de estrelas passaram Tantas águas quantos moinhos moveram..... Gargalhadas doridas..... Lágrimas salgadas com sorrisos transparentes como se fossem comédias dramáticas de uma imponência diminuta.....fria ...cruel...feita de Intenções mal intencionadas são por vezes atrozes infinitas até incansáveis... De uma saúde doentia e quase infame na revolta ..... Feita de fins e recomeços quase resgatados de um amontoado sórdido e frio de ferro oxidado e retorcido De onde nascerão nações imensas na vastidão de novos olhares de menino....sorrisos de esperança....onde em sonhos o AMOR possa acontecer.....

Género: