Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Encontro

Encontro

Tijoleira amena
Nos pés
Calejados do labor
Encardidos de paz.
Vento que irrompe pela perna
Chamado pelo grito mudo
É de uma guitarra
O escuro das pálpebras que
Os olhos contemplam.
A viagem prossegue
(já chegamos ao céu?)
Vê-se matéria
Sem substância
Que não soube compreender
Os espaços do silêncio
Onde ficou por dizer
Pelo teor ou forma
O que se desconhece conhecer
Porque nunca foi dito
Para que nunca seja gasto
Para que seja eterno
Em cada silêncio

 

 

Género: 

Comentários

Muito Bom!

A simpatia!
Obrigado