Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer participar nas nossas Antologias? Clique aqui.

entardecer

      Como é belo este calmo entardecer!

      Inunda a alma de paz, de brandura.

      Desperta-me emoções d' enternecer,

      Põe-me na alma desejo de candura!

 

      Ao longe, no horizonte afogueado,

      Vejo safiras, rubis, a luzir,

      A pérola d' âmbar em tom dourado,

      Subtilmente se esconde, quer fugir.

 

      A brisa indelével m' acaricia,

      E me envolve d' amor de fantasia!

      É sonho , realidade... Entrelaçados!

 

      Quando por fim cai o entardecer,

      Para dar espaço à noite florescer,

      Abranda em mim, este querer viver!

  

 

Género: