FLOR DE NOVEMBRO

FLOR DE NOVEMBRO



É um jardim bem acanhado,

onde cultivo algumas flores,

que o deixam bem adornado.



Tem flores diversas,

que são aqueles entes queridos,

que já desencarnaram,

mas que em vida muito me

influenciaram.

Tem outras flores bonitas,
que são meus poucos amigos,
que eles na minha vida orbita.

Tem uma arvore frondosa,
que é um Cedro Libanês,
carinho meu todo especial
cuja semente esta lá no Parana.

Tem uma Margaridinha e um Cravinho,
é um casal de PIMPOLHOS,
inesquecíveis de tão amarosos.

Tem uma rosa bem cor de rosa,
que um dia haveremos de nos
entender.

Tem minha GIRASSOL querida,
que é essencial na minha vida .

Mas agora em novembro,
tem uma flor todo negra,
tão negra como tão rara,
nela contem minha tristeza,
minha melancolia,
minha maior desilusão,
pois enfim ela é uma
infeliz comemoração,
de um ano de sofrida
separação.

Mas no jardim bem acanhado,
não tem a flor que eu mais queria,
apesar de tanta Poesia que por ela
fiz e faria.

Essa flor na realidade, não entendi
o que de mim afinal quis,
e nos meus desenganos,
na minha luta inglória,
para querer preservar la,
na verdade dela para mim,
ela nunca existiu,
porque não havia sentimento ali,
e apesar de sua meiguice e candura,
ela é sem sentimentos,
ela é apenas uma bela dobradura.

E agora nessa flor negra de novembro,
que quase o dia inteiro ela fica orvalhada,
do rocio amargo que escorre de meus olhos,
pelas lembranças de tudo que se passou,
e na minha ingenuidade de pensar,
que aquilo tudo seria para sempre,
mas agora só fiquei demente,
pois tudo aquilo foi artificio,
para me usar afim de obter um beneficio.

Mas esse é meu jardim bem acanhado,
é meu coração que esta por demais amargurado,
e cultivo todas as flores que nele contem,
mas não tem a única flor que um dia pensei
que existia, e apesar disso, é a flor que mais queria.

M . A. Tisi
(31/10/2012)

Género: 
Você votou 'Não gosto'.