Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

FRAGMENTOS - ALQUIMIA - VI

FRAGMENTOS - ALQUIMIA - VI

Num gesto de tédio, em doce amargura,
solto o pensamento sem espaços.
Bebo o cálice da alquimia fluindo a mistura
mato a fome e a sede no infinito.
Tenho o teu corpo nos meus braços,
a visão esbatesse nas luzes ceifadas,
na tela da lembrança, projeta-se num grito.
Selo a memória, perante as imagens amadas,
num mundo parado, nossos corpos alados,
ganham garras e forma de condor.
Rodopiam, suspensos em lampejos de penumbra
num volteio ligado no sentimento,
entrelaçados pela harmonia do tempo,
luzindo raios num bailado de amor.

Mordo as palavras que não saem da garganta,
escoam pelo tempo vazio do amor que se perdeu.
Num grito ao sentimento, a minha boca canta,
coração vadio, o meu, será sempre teu.

João Murty


 
Género: 

Comentários

Um poema... Uma canção... Um corpo, um coração.

Dois corpos, dois corações... 

Dois poemas, duas ações!

Amei!

Beijos!

Fico feliz pela visita e por ter gostado.

Um beijinho