Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

ILUSÃO DE UM POEMA RASGADO

ILUSÃO DE UM POEMA RASGADO

(Quanto tempo fica para te reescrever.....)

Neste deserto de frases moribundas,
em dunas de letras que se amontoam
ao sabor do vento alucinado.
No calor das palavras fecundas,
a dor se cala e as frases não soam,
abafadas no silêncio amortalhado.

(Num apelo escrevo para sentir e reviver.....)

Nas parcas palavras que me sobejam,
no vórtice da ilusão imprevista,
desfraldo o teu nome no tempo apiedado.
Meus lábios de fome, teus lábios beijam,
aplanado na loucura da tentação arrivista,
vestindo de sofrimento o momento desejado.

(Antes que o verbo me amargue e me sufoque….)

Me dispo neste meu mundo de poesia,
hesitante, tropeço nas letras que persigo,
amarras sagradas que poetam meu Ser.
Em círculos crescentes de fantasia,
odores de alquimia indultam o castigo
do poema rasgado, rejeitado ao nascer.

(Antes que o meu tempo se dilua e se esgote….)

Encontro em teu corpo desnudado,
o prelúdio das solenidades,
que mutila minha alma estilhaçada.
Fica o grito do desejo sufocado.
No canto, a memória e as verdades
vulneráveis daquela poesia inacabada.

(Ilusão! É na saudade de mim que te reencontro..)

João Murty

Género: 

Comentários

"É na saudade de mim que te reencontro". Ilusão não será, porque se na saudade há reencontro então neste encontro fica tudo resolvido.

O tempo sofrido fica para trás, segue-se uma armonia entre beijos e cala-frios assim segue dois amantes em nosso dia. Rasga-se o papel e não o poema, rasga a ilusão, ela é uma incerteza e coloca mel nas palavras antes que o "verbo o amargue e o sufoque"...

Beijinhos poeta!

Madalena Cordeiro

Obrigado minha amiga, pelas palavras quentes e carinhosas.

Beijinho

João Murty

 

'Eu estou aqui iludida, por mim mesma, não tenho proposta nenhuma que me faz esperar. É quase um verbo abistrato, sei que existe mas, não posso toca-lo.

É uma ilusão que não se sabe quando acontecerá...

Invento uma forma de aliviar a solidão.

Talvez se dizer que amo alguém, isso entra no cérebro e fica parecendo verdade, então tenho forças de encarar a vida, enfrentar a solidão.

E se eu, insistir, em dizer amo alguém! Talvez, o tempo passa e quando nem ainda espero este alguém estará em pé na minha frente; então, porei fim na solidão".

Madalena Cordeiro

Beijinhos meu amigo querido!

Todos nós os que são teus amigos, gostamos de ti! Por isso coração ao alto, porque estarás sempre acompanhada por alguns amigos.

Beijinhos

 

João Murty, só esse pseudônimo que você me deu; "Poetisa Das Palavras Doces" é uma alegria e tanto! A solidão fica para tras... Quando você aparece aqui na poesiafaclube eu paro de chorar.

Madalena Cordeiro

Beijinhosss