Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Intocável

Apodo "ferocactus" se sem hipanto,
Num cárcere de gelo, qual jazigo.
Esgrime o seu vil naipe, até consigo,
E anela por Porphyria* e doravante

Mimetiza em cristal Plutão porquanto
Obdurado, senão ao toque - erodido.
Na fria horripilação do desabrigo,
Aninha-se em si só, recalcitrante.

E todavia... plasmado em Shelley, um véu
Embai, como em Shalott**, as cordas mesmas
Daquela harpa indelével, cosmo seu,                

Que exe luída e sem eira de alfazemas.
Roga a Manitu em vão fácies de ateu
E subjazem-lhe lúridas algemas.           

* BROWNING, Robert "Porphyria’s Lover" (1836)

** TENNYSON, Alfred "The Lady of Shalott" (1832)

inspirado no ("meu") gato de rua Pierrot, tão traumatizado que não se deixava tocar, e em todos os seres afins (humanos e animais)

Género: