Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Oásis

 

Deus que bate à porta

Ironicamente não me deixa entrar

Eu, senhor da minha própria casa

 

E Ele só veio me avisar

Que a minha vida está lá fora

Longe do que calculo

Mais ainda das minhas mãos

“Se as consegue abrir,

Não precisa ter mais esperança alguma”

 

Para que esperar

Se o que eu guardava era um morto

Ávido para viver uma vida insignificante

Vazia

Onde batia um coração

No meio do deserto

Que eu mesmo plantei?

 

Género: