Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Oceano de Certezas incertas

Air - Johann Sebastian Bach

Como é incerta esta noite que em mim mora Um Oceano de certezas incertas inunda minha essência Eu bebo trago a trago estas nevoas tenebrosas inquisidoras Perturbantes na sua voraz subtilea na qual me quero deixar envolver Um pendulo dourado e gigante acorda minha lucidez nublada com sua cadencia Ao ritmo de quem querendo falar tanto se cala Esvaindo-se de esforço repartido em mil encruzilhadas De inumeras crenças desacreditadas Passo a passo lentamente vou avançando Convictamente segura de que cada passo que dou pode ser um retrocesso em risos ou em lágrimas pouco importa Assumo-me eu própria como um labirinto com inumeras pontes que nunca alcançam a outra margem Como um barquinho de papel Que de tão humedecido por vezes perde o rumo Há muito caminho a percorrer Ainda mergulho num profundo extâse de ansias antigas Que de tão perdidas se encontraram Regina Pereira 2014

Género: 

Comentários