Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Olhares fortuitos

Olhares fortuitos

Olhares fortuitos me desconsertam, olhares de canto de olho me deixa desconfiado, olhares noturnos me são mais amenos. Na retina do olho de quem me olha, esperando que eu não note, está a minha íris refletida. No brilho do olhar da moça que me olha, vejo desejos latentes, contidos. Observando cada movimento, cada virada de rosto, cada olhar sem querer. Nunca me atrevo a abordar uma mulher, a menos que me lancem olhares fortuitos. E neste caso, fui.

 

Charles Silva

Género: