Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Parti e Partido Fiquei

Estou tão longe de casa, num mundo diferente,

Longe do sítio onde te costumava ter.

Apartado do teu corpo que percorria apressadamente,

A pressa de tão pouco tempo e tanto para ver.

 

Sonho e nós estamos juntos novamente,

Quando acordo vejo a cama só e gelada.

A ausência estrangula-me como uma serpente,

A dúvida de uma história não acabada…

 

Aqui o céu não é tão azul como era no teu olhar,

Tudo é cinzento e tão lento que é o tempo.

Vejo-me sentado, sem ti, à beira-mar,

Peço às marés que me levem a mim e ao meu lamento.

 

Peço asas para voltar para onde tu estás,

Mas nem sei o que é feito de ti.

Grito alto por ti nas horas más,

Mas tu nunca estás aqui.

 

Parti e partido eu fiquei,

À espera que me venhas unir.

Sabia mas já não sei,

Estou a morrer e pouco vale mentir…

 

 

(14/04/2014 – 20:31)

Género: 

Comentários

Pasei para cumprimentar e dar força. Meu bom amigo, gostei do poema. Por vezes temos que caminhar com nós mesmo, refletir, prender um sorriso na boca e recomeçar.

Peço desculpa a todos os meus amigos, pela ausencia/falta de contato. Tive um periodo muito agitado e tirei uns tempos para descansar, mas de quando em vez, irei passando pelas letras e poemas de alguns amigos.

Um abraço,

Joo Murty

 
 
António Cardoso's picture

Muito obrigado, amigo João Murty.

Fez muito bem em tirar algum tempo para descansar, todos precisamos de tempos assim de vez em quando. Quando puder aparecer, será sempre bem-vindo!