Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

PERCO NOITES

Há noites em que perco o sono
Noites que são dolorosas
E choro em desespero
A noite já vai muito longa
E as lágrimas e a chuva
Molham o vidro das janelas
Vagueio pela casa, assalto o frigorífico
Ninguém me vê, estão todos a dormir
Eu vou contando as horas, os minutos
Fico a ouvir os barulhos da noite
Olho para a minha amiga lua à espera do sono!!
Género: 

Comentários

Melancolico mais um incrivel poema !

belo!!!

Abraço poetisa.