Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer participar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Prédio abandonado

Apenas um prédio abandonado,
Apenas abandonaram o prédio,
Deixaram o brutalismo ocupar,
Deixaram a carcaça do vazio.
Demoliram suas ruínas no altar,
E destroços sucumbiram a mil.
Um espaço enorme no recinto,
E um tempo maior ainda.
Séculos transitam o luto,
Nem vida ou alma que finda,
Um mausoléu sem defunto,
Para quem não tem resquício;
Nem de esperança ou moradia,
Sendo assim, hospedes repousam,
Descansam no parapeito.
As vertigens aos que foram
Voadores neste leito.
Género: