Quem...

Quem sou

Não sei dizem

Com certeza

Se sou viajante

Deste tempo

Se sou poeta

Que errante segue

Não sei viver

Sem escrever verdades,

Traduzo sentimentos

Me permito existir

Coexistir neste paralelo

O amor que traduzo

é poesia na essência

simplesmente ao meditar

ao reverenciar consciente

É quase impossível

Há infinitas possibilidades

Sou errante

Minha inspiração

Não vê corpos

Vê almas

E suas profundezas

Na devoção profunda

e no silêncio

quando chego ao ápice

Silencio-me diante de ti

Me embriago

Em tua sensualidade

Sou passageiro

Deste mundo complexo

Desvendando a intensidade

(DiCello, 22/05/2019)

Género: 
Você votou 'Não gosto'.