Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

QUEM TE VÊ...

QUEM TE VÊ…

 

Quem, de longe, te vê passando, assim,

Não sabe quanto me custa olhar-te,

Como eu queria, poder ignorar-te,

Para não te suplicar, que olhes pra mim.

 

Que força é essa, que pra mim emites,

Que meus olhos te seguem, sem eu querer,

E como servos teus, tens o poder,

De os manter sonhando sem limites.

 

Permites, que eles te olhem, mas não deixas

Que olhem nos teus, mesmo suplicantes,

Porque esses, sempre frios, arrogantes,

Não querem ouvir destes, suas queixas.

 

Vai, leva-os contigo, que eu já não quero

Palmilhar esse caminho austero

Que, cegos por ti, me querem levar.

 

Prefiro, ficar cego de ciúme,

Do que de mim, ouvires um queixume,

Quando, distante, te vejo passar.

 

LAF18FEV2021

Género: 
Você votou 'Gosto'.