Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Saiu-me a Lotaria...

Saiu-me a lotaria...

 

Hoje é um novo dia, saiu-me a lotaria.

E, como não bastassem notas aos montões, saiu-me o euromilhões.

Que azáfama, que preocupação… onde gastar tanto milhão?!

Começar talvez por nova casa, mas com tanto tostão, porque não um casarão?

E como há-de haver muito convidado, há que fazer tudo ao quadrado.

Muitos dos dias vão ser de calor e o calor anima, há que acrescentar um jacuzzi e uma enorme piscina.

Na garagem toda ela ladrilhada, não ter muitos topos de gama, qual a piada?!

Como nem sempre é fácil o trânsito e o cenário fica torto, há que comprar um helicóptero e fazer um heliporto.

P´rás viagens longas e para ficar bem no retrato, não nada melhor do que comprar um jacto.

Tudo do melhor, nos enormes jardins… repuxos, estátuas, flores e afins.

E assim se vai passando o dia a dia, vivendo esta enorme fantasia.

Mas porque não provoca, tanto esplendor em mim, mais alegria???

Eu sempre pensara, se isso me acontecesse de repente, fazer tudo de forma tão diferente.

Tanta gente a sofrer e a precisar dum teto para viver.

Tanta criança com fome e que tão pouco come.

Tanta gente a tentar e não ter onde trabalhar.

Tão idoso se ficar e não ter quem o cuidar.

Tanta vida para viver e não saber como o fazer??!!

Tanta coisa assim e tantos a precisar de mim.

Que raio de vida estava eu a construir, se tudo à minha volta continuava a ruir?!

De repente o telefone toca… E, quase sufocando de tanto transpirar, pergunto-me sem quase nada à volta poder ver…o que será, o que se está a passar???

Ah, que alívio…afinal era hora de acordar… e um novo dia iria começar.

Género: