Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Tantos Credos

Tantos credos se desenham ……

Amazónicas florestas tenebrosas ensombradas…. Cedem passagem curvando-se resignadas….

Perenes e gigantescas marés de luz incandescente nos vão cegando e ao mesmo tempo desbravam caminhos novos …

Vão sendo avistados ao longe em lentes microscópicas e precisas

Rochedos enormes de abismos às camadas transformam-se em partículas de pó purpura……..

Em medievais cómodas vão poisando silenciadas …

Digitais impressões de impunes crimes branqueados….

Chiqueiro de lama fedendo a cumplicidades expiadas e enterradas em subsolos de seres de obesidade mórbida sonolenta e arrastada….

Pálpebras de olhos puros tentam abrir-se forçando levemente o nevoeiro que se abate.......

Em mil amanheceres tardios instalou-se insónia poética e inspirada…

Um pestanejar pesado e coordenado em preludio de leveza musical harmoniosa articulada e apressada de bailarina

Que em pontas vai dançando……sobre um lago de cisnes de água transparente e gelada.

Regina Pereira

5 de Julho de 2014

Género: 
Você votou 'Gosto'.