Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Tons

 

Dentro de uma efémera prisão

Observei um canário colorido,

Cantava os tons do coração

Que à existência davam sentido.

 

Um dia a alma cresceu

E ao olhar pela janela

Em fim percebeu

Como a vida era bela.

 

Contra as grades lutou,

Como se lutasse contra o Mundo!

Nada conseguiu… E ferido ficou.

 

Perdeu o canto, as cores desvaneceram,

Porque sabia bem lá no fundo

Que na existência os tons se perderam.

Género: