Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Vícios da memória

Vicio-me em cada memória
Percorro a saudade repenicada
Em cada momento do tempo
Quando nas ruas o silêncio atento deambula
Por entre uma carícia colossal…bem rubricada
 
Embalo este improvisado verso numa colorida
Matilha de desejos bem entrosados, encavalitados em
Cada fragmento de tempo divagando acossado
Retocando uma madrugada espreitando pela frincha
Da vida que se refaz e compraz…bem emancipada
 
Ímpios se tornaram os dias esquecidos…vacilantes
Pincelando todas as margens dos meus desassossegos
Errantes até que minh’alma habite pra sempre uma soltitária
Lágrima caminhando pela descampada existência tão extenuante
 
Neste pretérito silêncio embalo cada eco das minhas
Dores e lamentos amedrontados, cimentando a solidão
Desconhecida que se acerca subtil rasurando esta estrofe
Infestada de ilusões insaciáveis e litigantes
 
FC
Género: 

Comentários



O tempo passa...as visões....as palavras....os momentos ficam.

Geralmente a velhice tende a esquecer os momentos recentes, trazendo à colação outros bem remotos. Sinal dos tempos....por vezes é o principio do fim.

Um grande abraço e que  a sua memória perdure por muitos e bons anos.

João

Grato pela visita e pela gentil mensagem

Poeta JMurtinheira.

Abraço fraterno e bem haja 

FC