Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer participar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Abraço De Morte

Tempo, aquele que diz que cura tudo!

Aquele que sem esforço fica tudo bem...

Nao queria causar problemas em roubar teu coraçao

Já passou um longo tempo, e eu nao consigo parar de fugir

consegues ouvir o meu coraçao a bater, ouve esse som porque eu nao cosigo ajudar a pensar e nao vou parar agora.

E agora olho para o sol e nao consigo ver o caminho que a gravidade puxa tu e eu

A gravidade agora puxa quem menos quero, puxa quem tu mais queres

Bebe, eu sinto-me em baixo, sinto os problemas, sinto tudo á tua volta, consigo ouvir o teu coraçao bater. Nao consigo ouvir musica, ajuda-me a pensar, para onde ei-de olhar?

O que posso ver mais neste mundo?

Sinto o sol a queimar os meus olhos.

Se perdes-te o sentido de estar sozinho, junta-te... Nao é preciso fazes parte do grupo de separar.

Como consegues navegar nesse sentido? Se calhar, foi tudo planeado, se calhar...

Queria estar de consciencia tranquila, mas como?

Porque nao aceitas de volta?

É um castigo? Será? Fui a decepçao? Causei a morte de alguem? Estarei a ficar maluco?

Porque razao finges que está tudo ok? Parece que fazes parte desse grupo, lambe botas.

Como poderei ultrepassar isto se é a priemira vez que fico bloqueado?

Se quiseres podes ficar com eles nao me importo, escolhe quem tu quiseres, a minha dor ja está prestes aceitar que estás a deixar o meu coraçao.

Se queres cair sozinha cai, nao me leves contigo.

Vou seguir o meu caminho!

Género: 
Declamador: