Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer participar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Zanguei me com meu amor

Gonçalo tem cuidado

Foge da tentação

Pois o mundo está doente

E dos jovens não tem compaixão.

Gonçalo é o teu nome

Mas que lindo que ele é

Já estás a ficar um homem

Ainda à pouco eras bebé.

Agora tens uma irmã

Que te põe tudo em desalinho

Mas não te zangues Gonçalinho

Porque tu também eras assim em pequeninho.

Um menino, uma menina

Que lindo presente Deus a teus Pais deu

Para alegrar o vosso lar

Vindo do alto do Céu.

Deus quis, Deus ordenou

Vos dar tão lindo presente

Agora é preciso que todos vós

Não ponham Deus ausente.

Ele está sempre junto de vós

Seja de noite ou de dia

Acompanha sempre os vossos passos

Com sua Mãe Santa Maria

Agora te vou dar um conselho

Pois nunca o deves esquecer

Quando chegares a ser homem

Não queiras motas ter.

E quando tiveres um carro

Não carregues no acelerador.

Conduz com muito cuidado

Que assim serás um bom condutor.

Quando fores para a escola

Faz por bem aprender

Para um dia teres um curso

Para na vida te defender.

Assim ganhas o teu pão,

O pão de cada dia.

Governas o teu lar

Com amor e alegria.

Quando um dia namorares,

Com uma linda mulher,

Trata-a sempre com respeito e com carinho

Pois é isso que ela quer.

Quanto aos teus Pais,

Que te dão tantos carinhos,

Dá-lhes muito amor

Quando eles forem velhinhos.

Porque eles também te deram

Muito amor, muito carinho.

Ama teu pai e tua mãe

Nunca os afastes do teu caminho.

Deus te dará a recompensa

Se teus pais tratares bem

Pois não há amor maior

Que o de pai e de mãe.

 

É tão linda a vida

Quando ela é bem vivida

Não dês desgosto ao teu pai

E tua mãe querida.

 

Gonçalo,  junto a este poema

Ofereço-te um brinquedoassim.

 Junto um grande beijinho

Para nunca te esqueceres de mim.

Gonçalo, nunca deixes o pecado

Na tua alma entrar

Mas sim o Trigo consagrado

Quando o fores comungar.

Guarda no teu arquivo,

Guarda no teu coração

Tudo quanto escrevi

Para te servir de lição.

Deixei boas lembranças

A todos os meus amiguinhos

Que iam para a Maia Club

Pois eu a todos dava carinhos.

Agora vou terminar

Este poema que te fiz

Fui eu quem o escreveu

Porque Deus assim o quis.

Autora Maria Carmo.

 

Género: 
Declamador: