Mil vezes

 

Mil vezes

 

Eu diria mil vezes ao dia

O quanto tu és a minha alegria

Escreveria mil versos

Para que saibas que és meu universo...

 

Ligaria mil vezes somente para dizer-te

Tu és o meu maior presente

Mandaria mil mensagens com sinceridade

Só para dizer que és minha outra metade...

 

Dar-te-ia um abraço envolto em mil beijos

Para que saibas que és meu único desejo

Tu és e sempre será tudo que almejo...

 

Far-te-ia mil canções de amor

Para dizer-te somente uma cousa em louvor

EU TE AMO MEU AMOR...

 

Por Leandro Yossef (06/05/2013)

 

 

Género: 
Você votou 'Não gosto'.

Comentários

 

momentos
Farto de mim mesmo do que acho, e do que penso.
Já não me aguento estou cansado do meu senso,
Sou comum como tantos. E como os outros tb penso.
E chego a conclusão que sirvo para alem do imenso.
 
Menciono me sirklaus e apresento me. Simples e seriamente na boa.
Novo e fresco esta É a minha, a nova pessoa.
Assumido como indivíduo com compromissos como me soa?
Bem, a ver vamos o que me resta Meu ponto de partida É esta. 
 
Não deixo nada a meia, mas por vezes o seu fim contesta
E isso É feio confuso e embaraçoso e o texto já não presta.
Profundo e frio, o passado traz lágrimas do que eu seria.
Pensado para a pratica sem teoria.
Livre e desconhecido sem simpatia
 
Sou um livro aberto sendo o autor desta caligrafia
De cara lavada e trancada e com set´s de poesia
Com acções para a melhoria nos textos na maioria. 
De volta a carga, para terminar a segunda parte da escrita
Sinto me completamente vazio e a inspiração me complica
 
Sem esforçar e sem forjar o texto
As linhas são ditas  são espontâneos e vão ganhando contexto
 mas De uma forma abstracta.
 dependendo do assunto e do que se trata