Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer participar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Cartas de Amor...

 

Quantas esperei de ti,
sem nunca chegarem,
talvez as tivesses escrito, não sei,
mas sei que se perderam entre a tua vontade e o vazio,
onde sempre me guardaste...
eu escrevi-te,
cartas com palavras,
com letras arrancadas da alma,
cartas de amor,
ridículas como todas elas o são,
belas como só elas conseguem ser...
escrevi à media luz do meu sentir,
e quantas vezes borrei o papel,
quando o teu nome me saltava dos olhos,
sem que eu o conseguisse segurar...
mas tu nunca as leste,
estavam endereçadas ao teu coração,
mas esse à muito que não tinha morada certa...
Voltaram sempre às minhas mãos,
esses pedaços de mim que te enviei,
ainda mais ridículas, ainda mais belas...
traziam tristeza presa nas linhas,
substituindo a esperança que enrosquei nas frases,
quando te falei de amor,
do meu amor...
 
Ártemis
Género: 

Comentários

Belíssimo poema, amiga e poetisa Ártemis.

Apesar da tristeza contida nestas palavras, está a alma do sujeito poético, onde a força das emoções...se manifesta de uma forma impressionante!
 
Gostei muito!
PS: É com prazer que aceito ter-te entre os meus amigos
 
Beijos

Amigo Gil,

É com imensa gratidão que recebo as palavras que aqui me deixou.

Penso que a tristeza contida nas palavras do poema é que lhe dão algum sentido, porque de fato acredito que os melhores poemas algumas vez escritos foram lavrados sobre esse sentimento que reune em si tantos outros.

A alegria espande...a tristeza por sua vez concentra, aprofunda.

O prazer é todo meu em tê-lo entre os que comigo dividem esta paixão pela poesia.

Bem Haja

Ártemis

Que encontre o destino e resposta esta carta , pois todo sentimento posto nela merece leitura calma e atenciosa . Parabens.

Meu estimado amigo Adilson,

as respostas vêem da sensibilidade daqueles como você me vão lendo. Grata pelas suas palavras.

 

Abraço

Ártemis

EMOCIONANTE!!!!!!

Todas as cartas de amor o são...emocionates, sentidas...bonitas mesmo quando falam de dor. São pedaços de papel que tem vida, que ganham um coração que se desenhou à luz do desespero!

Abraço

Ártemis

BRAVO!

POETAR LÍRICO, REFLEXIVO E CONTUNDENTE. 

DELÍCIA DE SE LER. 

QUANTAS VEZES EU A LER, 

SERÁ A IGUALDADE EM COMENTÁRIOS. 

PARABÉNS POETIZA. 

ABRAÇOS 

BILLY BRASIL 

Deixo-lhe um obrigada pelas suas palavras e sobretudo por ter sentido o poema da forma que o sentiu...

Abraço

Ártemis

Belo. Quem assilana que não gosta, deste ou de outro poema, devia justificar.