Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

EU PRECISO IR AGORA

TONY DAMITO - NÃO VÁ EMBORA

    EU PRECISO IR AGORA

Estou indo não sei pra onde.

Mandado não sei por quem...

Irei buscar não sei o quê;

Que eu não sei aonde têm.

 

É confusa esta viagem.

Porém, irei descobrir...

A curiosidade é grande!

Com você posso me abrir.

 

Você irá compreender.

São passos desnorteados...

Sair sem saber pra onde;

São coisas de desesperados.

 

Com a mão na cabeça irei.

-Voltar? - Não sei quando...

Não sei quem vou procurar;

Não tem ninguém me esperando.

 

Ao sons do vento, estou partindo.

Nas asas do vento, sou viajante...

O vento é um mensageiro!

Irá trazer notícia minha, à todo instante.

 

 

Autora: Madalena Cordeiro

Género: 

Comentários

É... Preciso ir. Um dia voltarei e conto tudo o que passei.

Há sempre algo que se encontra quando se vai e se traz quando se volta.

Obrigada Milena Dias!!! Agradeço a visita e comentário!

Abraços!

Olá  querida Madalena!  estou de volta depois de um descanso

Gostei do texto mas...Fique!!!!!!!

Beijo

Chegamos e em ti ficamos,

Ilha da saudade, terra sem maldade

onde o carinho que tanto gostamos

é envolto em aromas de bondade.

Superam-se penumbras, escolhos

exultam as saudados do tempo passado.

No trono da praia, da luz dos teus olhos,

Invento, esperanças de um novo reinado.

João Murty

A reconciliação com a vida é um encontro com o amor-próprio e as memórias são um elo que nos liga ao Universo e faz fluir o amor que nos habita.

Bejinho

 

Obrigada João Murty! Que a alegria seja sempre bem vinda!

Que possamos abraçarmos mas, não em despedidas...

Beijinhos a ti também!

Aqui neste palacio chamado "Coração"...  

Você reina sem pedir permissão.

Abraços!

A nossa NEREIDE voltou! Que alegria pessoal! Vamos comemorar a chegada de alguém, que por um momento se ausentou...

E, em grandes momentos alguém chorou.

Mdalena Cordeiro

Abraços à todos!

Oi Nereide!

"Que alegria em vê-la aqui! É só um poema em meio desilusões... Você voltou; não irei voar nas asas do vento, desisti da viagem poética".

Madalena Cordeiro

Abraços!

belo poema, parabens.

Obrigada! Eu agradeço imensamente seu comentário!

Abraços poéticos!

Duarte Almeida Jorge... Obrigada! "Agora eu estou indo domir desisti de viajar essa viagem maluca, caduca... Coisas que só os poetas conhecem".

Abraços!

Obrigada! "Fico honrada com a sua visita e comentário!!!

"Eu preciso ir agora". Eu escrevi este poema as 00h10min. Na medida em que ia escrevendo, sentia a visita do vento que entrava pala janela; como um mensageiro trazendo, letra por letra, formando esta viagem nas assas do pensamento.

Madalena Cordeiro...

Abraços!

 

"Já deu, o que tinha que dar". Eu resolvi, irei sim!

Você nunca deu anteção pra mim...

Chegou o ponto final. (.) Ponto final, vírgula, Exclamei, ! palavra de amor... interroguei ? se há outro alguém mas... Ponto final.