Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

NÃO ESCREVER!

 NÃO ESCREVER!

Não!

Pequena palavra forte...

Às vezes certa!

Às vezes errada!

 

Ríspida rasgada!

Certeira cortante!

Desgastante!

Incompreendida puta errante...

 

Bem, certa ou errada lá vai:

 

Não escrevo por saber!

Não escrevo por não saber!

Escrevo às vezes, por saber!

Escrevo às vezes, por não saber!

 

Não saber ou saber eis a necessidade já de escrever...

Não escrevo para ser sábio!

Será sábio todo aquele que escreve?

Tanta merda mental já escrita nesta História muitas vezes pessimamente e erradamente contada!

 

Não!

Não!

Pequena palavra forte...

Não, palavra que vem depois, ou antes, de algo... Existe um não algo?

 

Não!

Palavra que pode fazer estrago!

Não errado ou não certo!

Não, às vezes não deve ser falado...

 

Então:

Fala a palavra não para mim!

Não estala línguas críticas...

Não escreva!

 

Não escreva sobre isto...

Não escreva sobre aquilo...

Não escreva contra a Religião...

Não critique...

Não escreva...

Você não sabe escrever...

Você não é lido...

Não é considerado...

Não, não, não...

 

Ó não!

Para ti não...

Muitas vezes demos dizer não!

Não!

 

Então, contra esta avalanche de não escrevo o não...

 

E digo:

 

SIM! PARA MIM...

Género: