Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

O DRAMA DE NARCISO

O DRAMA DE NARCISO
 
Narciso acha feio o que não é espelho
Mas o espelho não reflete o que Narciso é.
Narciso se ama...se adora... se endeusa
E entra dentro de si
 
Narciso é o reflexo do outro
Narciso beija em outro
Seu corpo...seus seios...seu sexo
E se reflete no espelho
que mostra o outro que não é Narciso,
Mas é o seu reflexo no espelho
Narciso e o outro são um só...
 
Mas Narciso não é o outro
E sim é ele refletido no outro através do espelho
E o outro não é Narciso
E sim a sombra do que Narciso pensa que é...
 
Nesse enígma e drama
O destino contra Narciso trama...
Nessa busca de si Narciso se perde...
Se joga...se afoga...e morre...
Narciso quer alcançar a si que está refletido no espelho
Mas também não admite que tenha outro igual a si
Narciso quis ultrapassar o portal
E encontrar a si próprio em outra dimensão...
Porque ninguém resiste à revelação de se conhecer por dentro.
 
(Vera Helena)
Vitória/ES - Em 09/03/09 -
 
Género: 

Comentários

Narciso terá sido o pai do egocentrismo?!...

- Acho que o nosso planeta está saturado de tanto neto seu.

 

Saudações!

 

_Abilio.

Com certeza poeta...

Agora que vc me despertou para este drama, esta trama do destino de Narciso - o pai do Egocentrismo sim.
Obrigada por suas visitaS amigo poeta.
Muito me honra ter meus poemas lidos e comentados por alguém que escreve tão bem como vc.
 
Abraços
Vera Helena