Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer participar nas nossas Antologias? Clique aqui.

O verme perigoso

O verme perigoso
 
Verme vil te morde tanto
Com teu sangue e tua dor,
Come a carne humana em pranto,
Que ele sangra pelo horror.
 
Só que tu sentiste o escarro
Mais sangrado, morto e atroz,
Eis a boca enorme e o barro
Que nos grita a forte voz.
 
No alimento dele... É a morte
Para ti, com vis mordidas!
Um micróbio mau e forte
Que te mata e engole as vidas.
 
Que alimenta o corpo humano;
Esse mal do bicho augusto
Que te suga muito dano,
O vilão malvado e injusto!
 
Tu estás com veia ardente
E sangrenta após o Mal,
Ó ferida tão potente!
O teu corte bem mortal...
 
Como o monstro ignóbil mesmo,
Esses dentes que sangraram...
Todo o lodo velho em esmo,
Esses vermes que gritaram.
 
Lucas Munhoz 
25/04/2015
Género: