Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Passeio de infância.

Era tarde ou manhã

Já não sei mais

Havia sol, quentura, ovos fritos no asfalto

o estouro das bolhas dos pés.

Caminhando pelas ruas da cidade por vezes transitada
Perto de onde morava não estava eu
Distância.
Foram quilômetros pedalados
Não contive a memória
chuva, ar, passagens, vida.
Lembrei-me das voltas
As das viagens
Tristes essas
Frustrantes os retrocessos dos meses extasiantes
Como meu coração chorava ao retornar pra casa
Duro é o passado
No entanto, ele nos ensina demasiadamente
Experiência muita
Assim, conhecemos a saudade
Que vontade de retomar o tempo
Engolir água naquele mar
Pular na cachoeira
Nadar o nado daquele rio
Correr, andar, voar com meus avós
Sujar os chinelos nos barros
Infância.
Ah, a minha...
Espero um dia que voltar
Torne-se como os rodopios de bicicleta
A gente sofre tanto subindo o morro
Mas é só voltando que se sente o alívio da descida.

Género: